teste

Maio Amarelo em Ribeirão Pires

Um mês de atenção as leis e segurança no trânsito mês

O amarelo no semáforo significa atenção e é essa a intenção da campanha “Maio Amarelo”, da Estância Turística de Ribeirão Pires, chamar a atenção da sociedade ao respeito às leis e à segurança no trânsito.

A campanha acontece até o final de maio, no dia 29, com palestras e uma série de ações educativas nas ruas da cidade, com motoristas, pedestres, ciclistas e, nas escolas, além da participação dos agentes e gestores da Secretaria de Transportes e Trânsito, as atividades contam com a presença dos personagens Mr. Mão e a Foca da campanha “Foca no Trânsito”.

“A receptividade da população é importante, pois ao participar dessas ações é fundamental para que todos entendam o seu papel na construção de um trânsito mais seguro”, explicou o secretário de Transportes e Trânsito de Ribeirão Pires, José Adão Alves.

Um bloqueio educativo no cruzamento das avenidas Capitão José Gallo e Prefeito Valdírio Prisco, em 02 de maio, abriu o calendário de atividades do “Maio Amarelo”. Durante a ação, os agentes de trânsito orientaram os condutores sobre a importância da utilização do cinto no banco traseiro. A programação de palestras e atividades de conscientização do “Maio Amarelo” está no site da prefeitura, www.ribeiraopires.sp.gov.br

O “Maio Amarelo” – O Movimento Maio Amarelo trabalha a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Em Ribeirão Pires, as ações voltadas para a conscientização acontecem durante todo o ano, mas são intensificadas durante este mês. No período, também são reforçadas as ações de fiscalização.

De acordo com o Observatório de Políticas Públicas, Empreendedorismo e Conjuntura da USCS (Universidade de São Caetano do Sul), as estradas SP053/031, que liga Mauá a Ribeirão Pires e a SP 122, Rodovia Deputado Antônio Adib Chammas, ambas fazem parte do anel viário da cidade, são as com maior número de mortes. Entre 2015 e 2018 foram quatro em cada via, o que representa juntas 25,8% de vitimas fatais de um total de 31 mortes por rua/rodovia. A avenida Francisco Monteiro, que começa no Centro e tem 3,6 quilômetros de extensão é a rua com maior índice de mortes na cidade, foram três que representam 9,68% do total.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.